Últimas Notícias

Primeira mulher do mundo na divisão de elite do Fifa 22, Teca comemora: “persistência e o trabalho duro foram recompensados”

Na sexta feira (9) tivemos um fato histórico para o E-Sports brasileiro: a jogadora Stephanie Luana da Silva Santos, mais conhecida como Teca, se tornou a primeira mulher do mundo a chegar à divisão Elite do Fifa 22. Esta é uma divisão criada para separar os jogadores casuais dos jogadores profissionais ou de jogadores acima da média.

A melhor jogadora do mundo, contou para a reportagem exclusiva do ESF um pouco sobre o que é jogar Fifa e como chegou até onde ela está, confira abaixo um pouco da entrevista da Teca:

Como começou o gosto por Fifa?
Teca: – O gosto pelo Fifa começou porquê sempre tive contato com futebol, joguei futsal na escola, assistia aos jogos do Corinthians com a minha mãe na tv também, então sempre estive nesse meio futebolístico e o Fifa para mim é o jogo que mais se traduz o esporte.

Já sofreu muito preconceito durante as partidas?
Teca: – Sobre o preconceito durante as partidas, algumas situações chatas acontecem às vezes, mas procuro não me importar com isso e focar no que realmente vale a pena.

Quem é a maior inspiração?
Teca: – Minha maior inspiração é a minha mãe e meu irmão, que me apoiaram desde o início.

Qual é a sensação hoje de ser a única mulher no mundo a estar na divisão elite?
Teca: – A sensação é de que a persistência e o trabalho duro foram recompensados. Estou muito feliz pela conquista e espero quebrar mais recordes.

Tem algum jogo memorável que você acredita ter sido o ponto principal para essa conquista?
Teca: – Sobre jogo memorável, acredito que tiveram muitos jogos difíceis onde o que sobressaiu foi a concentração para buscar as vitórias e conseguir chegar até a divisão elite.

Como é esse trabalho psicológico que você tem?
Teca: – Não tenho um trabalho psicólogo, mas tenho um coach que fala em português (o meu anterior falava em inglês) e isso me ajuda muito porque ele me passa dicas fundamentais sobre situações dos jogos e o que tenho que fazer.

Como é esse apoio da sua esquipe?
Teca: Minha equipe me dá todo o suporte que preciso para alcançar essas conquistas. Há alguns anos participei de um bootcamp em Copenhagen, que me abriu a visão sobre alguns temas. Posso dizer que a Astralis é uma organização incrível e sou muito grata a todos que trabalham lá.

E qual conselho você daria para outras meninas que gostariam de jogar?
Teca: – Conselho que dou é que tudo no início é difícil, porém, se for isso mesmo que elas quiserem, digo para não desistir porque todo trabalho e esforço será recompensado no futuro.

Teca faz parte da Astralis, uma equipe dinamarquesa de E-Sports de diversas modalidades, fundada em Janeiro de 2016.

Veja mais notícias do Esporte sem Fronteira