Últimas Notícias

Novak Djokovic perde recurso e está fora do Australian Open, primeiro Grand Slam do ano

Neste Domingo (16), em caráter especial, a justiça australiana julgou o recurso pedido pela defesa de Novak Djokovic para que o sérvio pudesse disputar o torneio. A justiça do país alega que o jogador é alguém que endossa a campanha antivacina e isso pode influenciar outras pessoas do país, por ser uma figura pública.

Desde o dia 05 de janeiro, quando o sérvio chegou ao país, ficou detido por não apresentar o seu comprovante de vacina. Isso levou a uma disputa judicial contra o país. O Sérvio ainda teve uma autorização para participar do torneio, que foi revogada poucos dias depois, fazendo com que o processo se estendesse até esta data.

Durante o julgamento, que durou 8 horas, o advogado do governo Stephen Lloyd se baseou na ideia de que o jogador poderia influenciar algumas pessoas por não ter se vacinado e defender a ideia, além de ser uma celebridade. Alegou também que o ministro da imigração Alex Hawke não precisava de evidências para cancelar o visto do jogador, bastando apenas que existisse o risco.

A defesa do jogador afirmou que Djokovic não fez campanha contra a vacina, apenas se posicionou contra a obrigatoriedade da mesma. Mesmo a vacina sendo uma obrigatoriedade para participar do torneio, mas o tenista conseguiu uma autorização de exceção médica concedida pelos organizadores do torneio, por ter sido infectado como vírus em dezembro de 2021.

Ainda no sábado (21), os advogados do tenista alegaram que o ministro australiano não considerou o que poderia causar com o cancelamento do visto do tenista. O representante do governo respondeu afirmando que Alex Hawke ( Ministro da Imigração) estava sempre ciente do que a sua decisão poderia acarretar, principalmente tratando-se dos ativistas antivacina, e que também tinha ciência de que também haveria consequências caso não cancelasse o visto de Djokovic.

Devemos lembrar também que na quarta-feira (12), Nole admitiu que não se isolou quando teve seu exame testar positivo e errou ao preencher o formulário apresentado na Imigração. O que também ocorreu, foi que os exames em que apresentaram o resultado positivo podem ter sido fraudados. A revista alemã “Der Spiegel” confrontou a documentação apresentada pelos advogados a Justiça Australiana com os dados do Instituto de Saúde Pública da Sérvia e atestou uma série de Inconsistências.

O Tenista sérvio se manifestou por meio de um comunicado:

“Estou extremamente desapontado com a decisão do Tribunal de indeferir meu pedido de revisão judicial da decisão do ministro da Imigração de cancelar meu visto, o que significa que não posso permanecer na Austrália e participar do Australian Open. Respeito a decisão do Tribunal e cooperarei com as autoridades competentes em relação à minha saída do país”

“Estou desconfortável que o foco das últimas semanas tenha sido sobre mim e espero que agora todos possamos nos concentrar no jogo e no torneio que amo. Eu gostaria de desejar aos jogadores, dirigentes do torneio, staff, voluntários e fãs tudo de bom para o torneio”

“Por fim, gostaria de agradecer à minha família, amigos, equipe, torcedores, fãs e meus companheiros sérvios por seu apoio contínuo. Todos vocês foram uma grande fonte de força para mim”

Novak Djokovic

Com a decisão final do governo australiano, o tenista será deportado o mais breve possível. O tenista também deverá arcar com todos os custos do julgamento, que como informamos anteriormente, durou mais de 8 horas.

O tenista, sem participar do torneio, perde a chance de bater o recorde de títulos em Grand Slam. Hoje ele tem 21, juntamente com o espanhol Rafael Nadal e o suíço Roger Federer. Rafael Nadal estará no torneio e com a saída de Djokovic, é o único que tem chance de quebrar esse recorde, uma vez que Roger Federer se recupera de uma cirurgia e tem previsão para retornar somente em Julho, em Wimbledon.

O torneio seguirá sem o número 1 do mundo, que será substituído por um “Lucky Loser” (perdedor sortudo – um tenista que foi derrotado na fase de classificação). Neste caso, o italiano Salvatore Caruso (número 150 do ranking), que enfrentará o sérvio Miomir Kecmanovic nesta segunda-feira (17).

Veja mais notícias do Esporte sem Fronteira