Últimas Notícias

Em sua primeira entrevista após deportação, Djokovic afirma que abre mão de participar de torneios que exigirem a vacina

Sérvio, até o momento, número 1 do ranking da ATP da sua primeira entrevista após o caso que ocorreu em Melbourne (Austrália), onde o tenista foi deportado por não estar vacinado.

Em entrevista, o tenista explicou que não é contrário a vacina e sim contra a obrigatoriedade da mesma. Na mesma entrevista, afirmou que não irá participar dos torneios onde será exigido o comprovante de vacinação. Ainda no primeiro semestre, o Masters 1000 de Indian Wells e o Grand Slam de Roland Garros exigirão a vacina para todos que forem participar do torneio.

“Nunca fui contra a vacinação, mas sempre apoiei a liberdade de escolher o que você coloca em seu corpo. Os princípios de tomada de decisão sobre meu corpo são mais importantes do que qualquer título ou qualquer outra coisa. E esse é o preço que estou disposto a pagar”.

Novak Djokovic, à BBC

Nole ainda falou que sempre foi estudioso quando o assunto era sobre “bem-estar, saúde e nutrição”. E que ua decisão foi parcialmente influenciada pelo impacto positivo que fatores como a mudança de sua dieta e seus padrões de sono tiveram em suas habilidades como um atleta.

Ele ainda afirma que está mantendo a mente aberta sobre a posibilidade de se vacinar futuramente.

“Estou mantendo a mente aberta, porque estamos todos tentando encontrar coletivamente a melhor solução possível para acabar com a Covid. Eu nunca fui contra a vacinação. Entendo que, globalmente, todos estão tentando fazer um grande esforço para lidar com esse vírus e ver, espero, um fim em breve para esse vírus.”

Sobre “pegar Covid propositalmente”, Djoko tambem se manifestou. Ja que foi acusado de testar positivo a fim de conseguir uma liberação para disputar o torneio na Oceania.

“Mas ninguém tem a sorte e a conveniência de pegar o Covid. Milhões de pessoas têm e ainda estão lutando contra a Covid em todo o mundo. Eu realmente não gosto que alguém diga que eu tentei ter um exame PCR positivo para eventualmente ir à Austrália”

Por fim, o tenista que tem o recorde de semanas na liderança do ranking falou sobre a decisão apresentada pelo Ministro da Imigração Australiana, Alex Hawke, afirmando que jogador poderia influenciar algumas pessoas por não ter se vacinado e defender a ideia, além de ser uma celebridade.

“O erro na declaração de visto não foi feito deliberadamente. Foi aceito e confirmado pela Justiça Federal e pelo próprio ministro no Ministério da Imigração da Austrália. O que as pessoas provavelmente não sabem é que eu não fui deportado da Austrália porque não fui vacinado, ou quebrei alguma regra ou que cometi um erro na minha declaração de visto. Tudo isso foi aprovado e validado pelo Tribunal Federal da Austrália e pelo Ministro da Imigração”

“A razão pela qual fui deportado da Austrália foi porque o Ministro da Imigração usou seu critério para cancelar meu visto com base em sua percepção de que eu poderia criar algum sentimento antivacina no país ou na cidade, do qual discordo completamente”.