Campeonato Brasileiro Masculino

Ceará ganha do Palmeiras por 3 a 2 na estreia do Campeonato Brasileiro

Depois da vitória sobre o Independiente (Arg) por 2 a 1, pela Copa Sul-Americana, surgiam dúvidas de qual seria o desempenho do Ceará na estréia do Campeonato Brasileiro. Viajaria até São Paulo para fazer sua primeira partida pelo Campeonato Brasileiro de 2022 e o adversário era, nada mais nada menos , o Palmeiras.

Depois da virada sobre o Independiente (Arg), pela Copa Sul-Americana, na última terca-feira, o torcedor tinha uma boa perspectiva dessa primeira partida, mesmo tendo que jogar fora de casa.

A vitória por 3 a 2 sobre o atual Tri-Campeão da Libertadores da América e da forma como foi, trouxe ao seu torcedor a sensação de que fará uma excelente campanha na temporada 2022. Brasileirão, Sul-Americana e Copa do Brasil são os torneios em disputa pelo Ceará.

E a forma como Dorival Júnior preparou sua equipe e conhecedor das características dos seus jogadores, foram pontos cruciais para conquistar a vitória. A estratégia foi armada e colocada em prática desde o primeiro minuto de jogo.

Sabe-se da forma agressiva como o Palmeiras atua jogando em casa. Além da forte equipe, presença maciça do seu torcedor no estádio e o gramado sintético, algo dificultoso para quem não está acostumado, o Ceará deu mostra, logo de cara, de como seria essa partida.

O elenco do Ceará tem jogadores experientes,velozes e conhecidos de quem acompanha o futebol: Nino Paraíba,Messias, Mendoza, Rodrigo Lindoso,Vina e ainda tiveram o apoio magnífico de Erick, camisa 11, canhoto e um dos destaques do jogo. A defesa palmeirense não conseguia acertar a marcação nesse jogador, quando entrou no segundo tempo.

Do primeiro minuto até o gol, aos 6 minutos, a partida parecia ser realizada no Castelão. Oportunidades criadas pelo Ceará e a velocidade implementada era surpreendente. Dorival Júnior queria tirar o ímpeto do time alviverde. Mendoza foi lançado na esquerda, seguiu até a área do Palmeiras e cruzou para Vina. Jorge chegou querendo afastar, não conseguiu e tocou às suas próprias redes. 1 a 0 ao time do Ceará e o placar era justo.

Dudu quase empatou ao cabecear por cima da meta de João Ricardo, aos 10 minutos. Três minutos depois, Mendoza aproveitou um rebote de Weverton e para fazer o gol, chutou duas vezes. Na primeira, Marcos Rocha tirou em cima da linha. A bola voltou ao camisa 10 do Ceará que, de pé direito, estufou as redes de Weverton. 2 a 0 e o torcedor palmeirense não acreditava no resultado.

O primeiro gol do Palmeiras veio aos 21 minutos. Em uma troca de passes entre Dudu e Raphael Veiga, a bola chega para Zé Rafael. Chute colocado e no ângulo esquerdo de João Vitor. Reação no primeiro tempo e na hora certa.

Dali por diante, o jogo disputado levou às equipes mais a reclamarem do árbitro do que se concentrarem nos seus objetivos na partida. E a arbitragem sentia-se muita insegurança em apitar a qualquer lado. 04 cartões amarelos em menos de 08 minutos para jogadores e o técnico Abel Ferreira. Nervos à flor da pele.

 Meia hora de jogo e o Ceará tinha finalizado 06 vezes, contra 4 do Palmeiras. Rony, pelo Palmeiras aos 32 e Fernando Cabral, do Ceará, aos 34, perderam chances incríveis que poderiam ter alterado, profundamente, a partida. Messias chutou da intermediária e levou perigo à meta de Weverton, aos 48.  Primeiro tempo terminou 2 a 1 para o Ceará.

Segundo tempo e já eram esperadas alterações no Palmeiras. Saíram Jorge e Zé Rafael e entraram Atuesta e Rafael Navarro. No Ceará, Dorival Júnior sacou Fernando Sobral e Luiz Otávio e colocou em campo Richardson e Gabriel Lacerda.

Abel Ferreira tinha intenção de sufocar o Ceará nos primeiros minutos do segundo tempo. Aos 9 minutos, Rafael Navarro perdeu chance na pequena área para empatar. Um minuto depois, Mendoza invade a área e chuta por cima. Essa seria uma visão constante para quem assistia o jogo: a pressão palmeirense em busca do empate e os contra ataques do Ceará em alta velocidade.

Erick entra aos 13 minutos do segundo tempo. Foi uma alteração fundamental ao estilo de jogo do Ceará e à formação tática do Palmeiras naquele momento, que se lançava ao ataque, com seu meio de campo no campo adversário e sem ter um lateral esquerdo de ofício e bem no jogo.

Scarpa aos 18 chuta da entrada da área e faz João Victor espalmar para o lado. O Palmeiras insistia no empate e a torcida empurrava o time. A sintonia está bem alinhada junto aos seus torcedores. As conquistas atuais tornam-se um dos principais alicerces desse relacionamento.

Erick quase faz um gol de placa, aos 26 minutos. Entrou na área, cortou Gustavo Gomez, tirou Danilo da jogada e chutou firme no alto. Weverton fez uma grande defesa e espalmou por cima do seu gol . 

Mendoza perdeu chance aos 28 minutos. Isso já trazia um pouco de preocupação ao seu torcedor. O Palmeiras apertava o Ceará e esses gols poderiam fazer falta. Aos 40 minutos, o desafogo veio.

Na melhor jogada do Ceará, com Vina, Mendoza e Lucas Ribeiro, a bola sobra para Erick, que chuta forte à meia altura de Weverton. Ele espalma nos pés de Lucas Ribeiro, que ajeita e chuta forte no alto e sem chance alguma de defesa. 3 a 1 e a partida seguia quase definida.

Isso não fosse um pênalti cometido por Richardson em Gabriel Veron. O árbitro não viu o lance e o VAR  o chamou para análise. Confirmação da penalidade máxima e Gustavo Gomez cobrou sem chance de defesa para João Víctor.

Dali por diante, a partida foi marcada por muitas reclamações, cartões amarelos e a expulsão de Vina. Até um gandula foi expulso por arrumar confusão no banco de reservas do Ceará.
O atacante Vina foi expulso, após segurar Danilo. Como já tinha cartão amarelo, recebeu o segundo amarelo e o vermelho, na sequência.  

Essa vitória do Ceará traz ao seu torcedor boas perspectivas na temporada. Caso o time repita essas duas últimas atuações, seja pela Sul-Americana como a de ontem, o Ceará dificilmente deixará de conquistar algo nessa temporada.

E Dorival Júnior parece ter trazido ingredientes diferentes ao Ceará. Sua chegada foi excelente para retomada da sua carreira como treinador. As vitórias contra Palmeiras e Independiente (Arg) dão esperanças aos seus torcedores.

(Foto: Ettore Chiereguini/AGIF)