Últimas Notícias

São Paulo ganha do Cuiabá por 2 a 1 no Morumbi, com arbitragem polêmica

Nesse domingo, o São Paulo enfrentou o Cuiabá (MT) no estádio do Morumbi e ganhou por 2 a 1. Jenison abriu o marcador aos 32 minutos do primeiro tempo. Calleri empatou aos 20 minutos do segundo tempo e Nikão, aos 36 ‘, colocou o tricolor na frente do placar e consolidou a vitória, deixando a equipe no terceiro lugar na classificação do Brasileirão.

O Cuiabá vinha de uma eliminação da Copa do Brasil, na última quarta feira, pelo Atlético Goianiense e a Diretoria resolveu demitir o técnico Pintado. Sem nenhuma contratação, o time foi dirigido pelo auxiliar Luiz Fernando Iubel.

Diferentemente do seu rival, o São Paulo se classificou às oitavas de final da Copa do Brasil, ao vencer o Juventude por 2 a 0. O técnico Rogério Ceni, após o jogo, disse que estava satisfeito pela classificação mas a performance era preocupante.

Talvez essas palavras fosse um presságio pelo futebol praticado pelo time hoje. Voluntarioso e com pressão no início da partida, o ataque chegava próximo ao gol do excelente Walter mas não surtia o devido efeito.

O Cuiabá veio com objetivo de não perder e iria aproveitar ao máximo suas idas ao ataque.

Em uma jogada em que Léo e Arboleda se atrapalharam por completo, a bola sobrou para Alesson. Ele invadiu a área e chutou no canto esquerdo de Jandrei. A bola bateu no poste esquerdo e Jenison que acompanhava a jogada, tocou sem problemas ao fundo da rede.

No segundo tempo, Rogério Ceni tirou Pablo Maia e colocou em campo André Anderson. Ele participaria do lance mais polêmico da partida.

A pressão só aumentou no começo da etapa final do jogo. Patrick, Calleri e André Anderson perderam chances de empatar a partida em apenas 10 minutos.
Felipe Marques quase fez o segundo do Cuiabá, aos 14 minutos, em um chute cruzado. O 2 a 0 só iria multiplicar a pressão sobre o São Paulo. Quem joga fora de casa, não pode perder nenhuma chance de gol.

Aos 17 minutos, André Anderson invade a área, disputa a bola com o zagueiro Marllon e cai na área. O jovem árbitro Alexandre Vargas Tavares de Jesus (RJ) marcou pênalti e nem se deu ao trabalho de consultar o VAR. Os jogadores do Cuiabá não se conformaram pela atitude do árbitro, principalmente o goleiro Valter. Calleri bateu e empatou o jogo. 1 a 1 e viria mais pressão.

Dez minutos depois, Jonathan Cafu invadiu a área do São Paulo e Arboleda desviou a bola à linha de fundo. O atacante do Cuiabá acertou a canela do zagueiro tricolor. Pela recomendação do VAR,por entender ser uma jogada violenta, o árbitro expulsou Jonathan Cafu e trouxe mais reclamações às suas decisões.  Um a menos e a missão do Cuiabá ficaria cada vez mais difícil.

O segundo gol veio em um lance de sorte do ataque do São Paulo. Aos 36 minutos, Rigoni fez jogada pelo lado direito e cruzou na área. A zaga rebateu e a bola sobrou para Nikão, que chutou de pé esquerdo. A direção era a linha de fundo mas o pé de Marcão desviou a rota e bola morreu no fundo da rede do goleiro Valter, que não teve nenhuma chance de defesa. 2 a 1 e o alívio era generalizado.

A vitória traz tranqüilidade à comissão técnica, jogadores e torcedores do São Paulo. Mas é visível que o futebol praticado não o credencia, ainda, às conquistas almejadas como o Campeonato Brasileiro e própria Copa do Brasil. Rogério Ceni terá muito trabalho pela frente.

O São Paulo chega aos 11 pontos e na 3ª colocação do Campeonato Brasileiro. Próximo jogo é no dia 22/05, domingo, contra o Corinthians, às 16hs, em Itaquera. Já o Cuiabá enfrenta o Internacional, na Arena Pantanal, no sábado, dia 21/05.

Imagem(foto): Marcello Zambrana / AGIF