América do Sul

Derrota de 3 a 0 para o Nacional (URU) tira o RB Bragantino da Libertadores da América

Na última rodada da fase de grupos da Libertadores da América, o RB Bragantino dependia apenas de si para classificar-se às oitavas de final da competição. A missão era ganhar do Nacional (URU), no estádio Parque Central , em Montevidéu, e não depender do resultado da partida que envolvia os clubes argentinos Velez Sarsfield e Estudiantes de la Plata.

A denominação de “ Grupo da Morte” se fez valer, dada às dificuldades que todos os clubes do grupo C tiveram em seus jogos. O Velez Sarsfield classificou-se ao vencer a equipe reserva do Estudiantes de La Plata por 4 a 0. O RB Bragantino com a derrota de 3 a 0 foi eliminado da Libertadores. Por ser o último colocado, foi eliminado, também, da Sul-Americana.

E o Nacional começou a partida pressionando o Bragantino, eliminando as possibilidades de articular jogadas e explorar os contra-ataques, tendo em Artur e Helinho os protagonistas dessa missão. O lado direito da defesa do clube paulista estava desorganizada. Os dois gols com apenas 30 minutos da primeira etapa, foram por aquele setor.

Tomar o gol logo aos 8 minutos do primeiro tempo, certamente, trouxe um banho de água fria ao time e à comissão técnica. Zaballa desceu pelo lado esquerdo do ataque uruguaio e cruzou. Cleiton rebateu a bola e Trezza não teve trabalho para empurrar a bola e fazer 1 a 0.  O segundo gol foi idêntico ao primeiro tento do time do Nacional.

Novamente Zaballa recebeu a bola sem marcação alguma por parte da zaga do Bragantino, que cruzou na área. Dessa vez, Decano apareceu e antecipou a defesa de Cleiton, que nada pôde fazer em evitar o 2 a 0.  Maurício Barbieri esperava ver o primeiro tempo terminar o mais rápido possível e evitar um desastre maior. O intervalo seria o recurso viável à uma possível reação. Seria…

A necessidade de virar a partida, trouxe ao RB Bragantino a necessidade de ficar com a posse de bola e se projetar ao campo de ataque . O Nacional foi muito eficiente em bloquear as tentativas de chegar próximo à sua área.  E o golpe de misericórdia veio aos 38 minutos. A mão de Lucas Evangelista ocasionou o pênalti marcado sem titubear pelo árbitro Wilmar Roldán. Fagúndez cobrou e a bola bateu nas duas traves antes de entrar. Cleiton afastou a bola com um carrinho mas ela já havia entrado. 3 a 0 e a noite foi das mais infelizes.

Além da desclassificação da Libertadores da América, por ser o último colocado, não conseguiu se classificar à Sul-Americana. Uma noite terrível ao clube que sonhava em passar às oitavas de final e vislumbrar vôos maiores. No Campeonato Brasileiro, está na 13ª colocação com 09 pontos. Pela Copa do Brasil, tem o jogo de volta contra o Goiás na próxima terça feira, dia 31/05, em Bragança Paulista.

Foto: Divulgação: Conmebol Libertadores